Palace Hotel - Caxambu

domingo, 16 de setembro de 2012

Caxambu 111 anos - cidade exaltada e cantada em verso e prosa pelos grandes nomes da cultura nacional



Crônica de Olavo Bilac no Jornal Gazeta de Noticias 
( RJ ) de 15 de Abril de 1906

CHRONICA

Caxambu, sexta-feira.
Não sei o que haverá lá em baixo, na empoeirada Sebastianópolis, hoje e amanhã, que mereça o comentário da Crônica de domingo. Não sei, nem quero saber. Vim viver nesta Serra feiticeira os últimos dias da Semana Santa.  – poucos dias de paz e de encantada conversa com a Natureza que valem meses de saúde.
Lá em baixo haverá poeira e calor, mexericos e tolices, e muita gente, vestida de negro, visitando igrejas, e fingindo respeitar e praticar uma religião que é todos os dias desrespeitada e profanada pela maldade e pelo egoísmo dos que dizem respeita-la e pratica-la. Aqui, há árvores e pássaros, há a gente simples da terra, e há a multidão dos aquáticos, que, no convívio dos pássaros e das árvores, abandonam a sua impostura, e vivem simplesmente, naturalmente, sem hipocrisias e sem complicações.
Naturalmente, não há muito que dizer de tudo isto ... Só haveria um meio de escrever uma boa crônica a respeito de Caxambu: seria passar para o papel um pouco do céu azul que me cobre, um pouco da frescura e do perfume das matas que me cercam, um pouco da soalheira alegre que ilumina estes dias, um pouco do meigo luar que diviniza estas noites, e condensar tudo isso em alguns períodos claros e cantantes, em que ficasse residindo, por milagre, um pouco do incomparável encanto d’este pequeno éden. Quem sou eu, porém, para operar milagres ? A minha prosa há de sempre ser insipida e indolor; e, se estas arvores e estes pássaros a pudessem ler e entender, que vibração de sarcasmo e de desdenhosa compaixão haveria nas suas folhagens e nas suas plumagens ! ...
Abril é, em Minas, o mês das manhãs gloriosas, dos dias esplendidos, das noites de suprema poesia. A ultima semana de março levou consigo as últimas trovoadas e as últimas chuvas; reaparecem as flores, que até agora o aguaceiro impiedosamente desfolhava; o inverno ainda vem longe, e o verão já morreu; tudo acorda, numa clara harmonia e num divino enlevo, durante este doce outono mineiro, que faria as decantadas primaveras da Europa morrerem de inveja e ciúme, se entre as Estações, como há entre as Mulheres, pudesse haver ciúmes e invejas ...
A vasta e formosíssima zona mineira de que Caxambu é o centro e a joia mais bela, pagou o seu pesado e doloroso tributo ao tempestuoso verão d’este ano. Os campos que se estendem às margens da “ Minas e Rio ” e da “ Sapucahy ”, foram tristemente devastados pela inclemência das inundações. Soledade é um acervo de ruinas, boiando em águas estagnadas; em S. Lourenço, ao lado dos destroços das casas que ruíram, as casas, que a enxurrada poupou ainda conservam, fixada por uma lista de tinta barrenta perto das cumeeiras, a recordação do nível altíssimo a que chegaram as águas. O rio Verde não quis, em furor assassino e em destruidora sanha, ficar abaixo do Parahyba, e andou por estes campos, desencabrestado e indomável, espalhando o terror e propagando o estrago.
Mas a vila de Caxambu, pequenina e risonha, alcandorada no vértice das serra, dominando os campos e os vales, pouco sofreu. O fino e sereno Bengo, que a rega e refresca, é um manso fio de água, incapaz de cavalarias altas. Se ele se atrevesse a fingir descabidas cóleras, troçá-lo-iam sem dó os bandos de periquitos verdes que passam todo o dia a revoar sobre as suas águas claras ...
Os lindos, os travessos, os verdes periquitos do Parque de Caxambu ! São cem, são quinhentos, são mil, são incontáveis ... Tinham levado um misterioso sumiço, acossados pelas chuvas, mas reapareceram agora, mais numerosos, mais alegres, mais traquinas, mais gritadores.
Paris tem os seus clássicos pardais os seus Moncaux sagrados, que são os nomes alados da grande e prodigiosa cidade, - criaturinhas frágeis e joviais., que todos os parisienses adoram, com uma enternecida e supersticiosa paixão, Caxambu ( que, graças a Deus, só tem este ponto de semelhança com Paris ) também possui os seus passarinhos tutelares: são os periquitos do Parque das Águas, - pequeninos e espertos, de um verde claro, de um verde folhagem tenra e húmida.
Quando eles surgem, nestas manhãs enevoadas de abril, antes da hora apoteótica em que o sol vitoriosamente retalba, franja, esfiapa e dissipa os véus da neblina, - quando eles surgem, e começam a revoar e a gritar, dir-se-ia que o céu está chovendo esmeraldas, tão vivamente os seus corpinhos verdes se destacam sobre o fundo alvo da cerração. Mais tarde, abrigam-se nos bambuais cerrados, nas  copas espessas das magnólias, dos cedros-do-brejo e das figueiras, e, então, confundem-se com o verde das ramagens; - e, como a gente não os vê, parece que são as próprias árvores que adquirem voz, para saudar, numa gritaria álacre, os “ aquáticos ”, que se encaminham gravemente, empunhando os copinhos graduados, para as fontes regeneradoras ...

Palavra de honra ! vale a pena aturar às dez horas da viagem pela  “ Central ” pela “ Minas e Rio ”, e pela “ Sapucahy ”, só para travar conhecimento amável com os periquitos de Caxambu ! Ai de mim ! tenho pena de mim mesmo, quando me lembro de que, d’aqui a dois dias, vou deixa-los, e que, durante todos o ano, quando me viér o desejo de ver e ouvir periquitos, terei de contentar-me com os da Câmara e com os do Senado !
Doce Terra, doce vida ! Mas ...
Ainda ontem, um rude e bom homem d’aqui, que nunca d’aqui saiu, que aqui nasceu e aqui há de morrer, - um humilde trabalhador de roça, em conversa comigo, dizia-me; “ Vosmecê gosta d’isto, porque é novidade ! Onde vosmecê vive, e que vida deve ser boa, com muita gente, com muita festa, com muito barulho, com muita alegria ! A gente aqui apodrece de tristeza ...
Dizia-me ele isso, à hora do anoitecer, quando já a noite afogava o côncavo do Parque, e apenas o alto do morro de Caxambu, com o seu cruzeiro votivo, recebia ainda um beijo escasso da luz da tarde. Uma doce melancolia, baixava sobre a vilazinha quieta; o frio aumentava; as primeiras estelas acordavam, palpitando vagamente no céu pálido. E longe, do extremo da povoação, adiantavam-se lentamente, também vagamente palpitando, como outras estrelas rasteiras, as luzes das tochas de uma procissão religiosa que saia da igreja. Que paz e que poesia em tudo ! Uma alma nova, cheia de suprema bondade e de ternura infinita, animava todas as coisas ...
E eu pensei comigo mesmo: “ Afinal, este bom homem tem razão ! Eu sou um civilizado, ou antes um envenenado pela civilização: não poderia viver sempre aqui, nesta paz e nesta meiguice, porque teria saudade da poeira, das intrigas, da hipocrisia, da peraltice do Rio. Na roça teria saudade da cidade, como na cidade tenho saudade da roça ... Porque ? porque sou  um complicado, um civilizado, um “ urbano ”? Não ! porque sou homem, e todo o homem é incontentável. Também este pobre roceiro, que é um simples, um rústico, um “ natural ”, abomina a roça, e tem inveja de quem vive na cidade ... Oh ! deuses imortais ! ninguém neste mundo é feliz, ninguém neste mundo está contente com a sua sorte, ninguém neste mundo é digno de viver ! ... ”
Ora, adeus ! Por hoje, ainda não tenho saudades do Rio, e não as terei de certo nas quarenta e oito horas que ainda posso gozar de serra, de sossego, de ar puro. Fica-te para aí, pena estupida ! vou dizer versos líricos aos periquitos do Parque ...

                                                        Olavo Bilac

Colaboração: Pepe 

  

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

 Palco não fica pronto a tempo e provoca cancelamento de show musical

 Segundo a postagem compartilhada por Edmundo Sheila, essse era o aspecto do palco as 21hs. O evento estava marcado para ter início as 18hs desta quinta-feira

                                 Consternação e decepção geral diante do cancelamento do evento

 Problemas e trasos na montagem do palco impediram a realização do evento musical para o público Gospel, programado para a noite desta quinta-feira.
A programação divulgada pelo cartaz da Prefeitura de Caxambu anunciava a realização de shows musicais da Primeira Aliança Cristã de Caxambu "Aliança Pela Vida".
O público presente ao local menifestou seu descontentamento, assim como os artistas que se apresentariam esta noite em Caxambu, alguns vindos de outras cidades.

Fotos compartilhadas por Edmundo Sheila





COLUNA
SERGIO LEVENHAGEN
on line



           
    " Fatos a serem divulgados"
# Com as eleições em foco, Caxambu acompanha as discussões do que acontece
 e muitas vezes as informações carecem de fundamentos legais, como por
 exemplo= as tão conhecidas "pesquisas" que cada momento tem um candidato
 diferente liderando e isso com o intuito de confundir o eleitor. Pesquisa
 oficial só a que é registrada na justiça eleitoral para que todos os
 envolvidos tenham acesso para posteriores conferências dos dados e das
 sistemáticas utilizadas, que caso haja suspeita de fraude, o candidato que
 fez a pesquisa será punido.

 # Mas, para conhecimento público divulgamos aqui "fatos" e com direito aos
 acessos, por exemplo= "A Prestação de contas de 2.008 do então Prefeito
 Isaac Rosental foram REJEITADAS  pelo TRIBUNAL DE CONTAS MG. vejam=
www.tce.mg.gov.br  ( cabe recurso)


 # A candidatura de Marcus Gadbem foi DEFERIDA COM RECURSO no TRE-MG (o
 recurso é feito pelo MP em caso de deferimento ou pelo impugnado em caso de
 indeferimento). Sendo assim, Marcus Gadbem está então, por decisão em BH=
 APTO a concorrer. acesse= www.tse.jus.br

 #  Finalmente; o relatório de 2010 da CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO( CGU)
 feito em caxambu dos recursos federais vindos para a administração ISAAC
 ROSENTAL 2005/2008 ( reforma do CENTRO DE CONVENÇÕES, REVITALIZAÇÃO DA
 AVENIDA CAMILO SOARES E DA AVENIDA HENRIQUE MONAT) e para a administração
 do prefeito LUIZ CARLOS PINTO 2009/2012. e com fotos em alguns casos.
 Confira acessando= www.cgu.gov.br ( programa de fiscalização por sorteio
 público- busca de relatórios de fiscalização e de municipios sorteados-
 caxambu está no número 32 junto com alguns municipios).
  e  a campanha eleitoral continua.....

 Saudações tricolores
 a gente volta
 sempre
 em homenagem à todos caxambuenses de bem que lutam por uma cidade melhor
 sem mágicas e com os pés no chão.

Sergio Levenhagen
 em 13.09.12




Caxambu completa 111 anos
Grupo Revelação canta nesta sexta-feira





A festa pelo aniversário de 111 anos de Caxambu começa nesta quinta feira 13 de setembro no espaço de eventos em frente ao Ginásio Jorge Curi. São dois palcos com atrações diversas. Os shows musicais começam nesta quinta são a partir das 18 h com grupos do movimento cristão Aliança pela Vida no palco 2. Na sexta feira tem o grupo Caroço com Banana no palco 1. E em seguida no palco 2 a grande atração da noite o grupo Revelação. No sábado dia 15 às 21h30min tem Beatles Cover no palco 2 e às 23h30min Banda Êxtase também no palco 2.
Domingo aniversário da cidade, dia 16 de setembro os eventos começam pela manhã com hasteamento de bandeiras as 8 h em frente à Prefeitura. Em seguida tem desfile cívico com participação de escolas da cidade, equipes esportivas, Banda da ESA e fanfarras convidadas da região. As apresentações serão na Avenida Camilo Soares.
No espaço de eventos às 18 h no palco 1 tem show infantil com a Trupicada. As 20 h apresentação da dupla Ander e Ricca, com sertanejo universitário. Para fechar as festividades tem João Netto e Frederico a partir das 23 h.
Todos os shows são gratuitos e organizados pela Prefeitura de Caxambu através da Secretaria Municipal de Turismo.

Imprensa - Prefeitura de Caxambu




13 de Setembro - Dia Nacional da Cachaça





quarta-feira, 12 de setembro de 2012



UMA SENTENÇA DE MORTE

- QUEM VIVER VERÁ


 Muito embora o Brasil não adote a Pena Capital, aqui a violência bate record mundial. É certo que a violência no trânsito e nos crimes de morte matam mais, muito mais que conflitos revolucionários em outras partes do Mundo. Talvez seja mesmo provável que aqui tenha morrido mais gente, que em muitas outras guerrilhas e conflitos.

 Implantou-se aqui a Guerrilha Urbana, onde balas perdidas matam crianças inocentes.
 Neste início de semana foram mortos Seis Jovens vitimados por traficantes do Morro da Chatuba no Rio de Janeiro, enquanto a policia Paulista executou nove pessoas na Região da Grande São Paulo. Segundo notícias as vítimas paulistas eram quase todas ligadas ao crime.

 Os Tribnais do Crime Organizado em certos momentos atuam com maior desenvoltura e agilidade que os próprios Tribunais de Justiça Oficiais.
 É a própria inversão de valores e substituição de funções.
 O crime se organizou e a repreensão ao crime se desorganizou.
 O tráfico de drogas, o consumo de crak e o trânsito vitimam jovens em todo pais. Cruel estatística que registra vitimas de violência numa população entre 14 a 18 anos.

 Tudo isso sem falar nos crimes contra o patrimônio com explosão de caixas eletrônicos, roubos, assalto a mão armada. E ainda sequestros, saidinha de bancos e brigas de gangues.
 O País tornou-se um fiel retrato da violência e da intolerância.
 A vida nunca foi tão desvalorizada e vilipendiada, a violencia banalizada e o direito de viver ameaçado diariamente.
 Os bandidos matam e a polícia despreparada executa.
 As famílias atônitas sofrem ao desamparo da Justiça e vivem ao relento. Marginalizadas em guetos e favelas em chamas. São expulsas de áreas ocupadas pertencentes a mega investidores.

É a guerra dos sem terra e dos sem teto contra os capitalistas do poder político corrupto.
 Populações Indigenas são dizimadas pelos garimpeiros e pelo desflorestamento, quando não sufocadas pelas barragens dos rios amazônicos.

A população carceraria triplicou e, os presídios são verdadeiras bombas de efeito retardado. o tráfico de drogas e o uso de celulares nos presídios é uma realidade incontestável.
 Ghegou-se ao absurdo de Policiais Rodoviários Em Greve afixarem uma faixa em rodovia Federal informando LIVRE TRÂNSITO DE DROGAS E ARMAS.

É o caos.
 É o fim.

 Ninguém socorre o povo que sofre mergulhado por dívidas em cartões de crédito e empréstimos consignados.
 Educação que é bom, nada.

E em meio a toda essa balbúrdia lá vamos nós a mais um pleito eleitoral, onde os principais protagonistas prometem tudo e talvez, não cumpram nada.
 ORDEM E PROGRESSO, hoje é letra morta inscrita no Pavilhão Nacional.
 

Compartilhado por  José Celestino Teixeira

Hospital São Camilo de Caxambu realiza primeira Cirurgia Plástica

Momento foi histórico para instituição


Foto: Cristiane Siqueira dos Reis que realizou um sonho antigo.

Depois de passar por um período intenso de melhorias, o Hospital São Camilo de Caxambu anunciou a realização da primeira cirurgia plástica, especialidade que foi implantada pela diretoria administrativa esse ano.
O cirurgião plástico, Dr. Luiz Augusto da Costa Depieri, foi o médico responsável pela lipoaspiração de culote e lipoabdomem que teve a duração de 5 horas na paciente Cristiane Siqueira dos Reis que realizou um sonho antigo. Todo o procedimento cirúrgico ocorreu com sucesso.

Esse é um momento histórico para o Hospital, de acordo com o diretor administrativo, Sérgio Catardo. “O Hospital, aos poucos, tem caminhado para ampliar sua resolutividade e para ser uma instituição referência para o caxambuense. Com mais essa especialidade, a comunidade não precisa deslocar para outros municípios”, afirma Sérgio.

O cirurgião, junto de sua equipe realiza os seguintes procedimentos no Hospital São Camilo de Caxambu: prótese mamaria, mama redutora, abdominoplastia, lipoescultura, lipoabdomem, blefaroplastia (pálpebras), otoplastia (orelha abano), rinoplastia(nariz), cirurgia intima, ginecomastia, correção de cicatrizes, câncer de pele, botox, preenchimento facial

O Hospital conta com descontos especiais para os contribuintes do “Carnê dos Amigos do Hospital”. Para se tornar um contribuinte e obter o desconto especial, basta fazer contato na Associação de Amigos do Hospital - Shopping Teresa Cristina. 





XXX